Entrar | Cadastrar
Artigos
Textos, monografias e materiais didáticos no universo das Danças Circulares Sagradas.
Dança da Gratidão
Temos observado a freqüência com que palavras como “gratidão”, “gratos”, “grata”, “agradecidos” são ditas, escritas, escutadas, lidas, expressadas por nós e/ou para nós.
Publicado em: 30/12/2014
Por: Lena Mouzinho

Temos observado a freqüência com que palavras como “gratidão”, “gratos”, “grata”, “agradecidos” são ditas, escritas, escutadas, lidas, expressadas por nós e/ou para nós. Estas palavras estiveram presentes cotidianamente em 2014... O interessante é que não é “obrigada!”, “obrigado!”... é “gratidão” mesmo!

Derivado de “gratia”, “graça”... E faz sentido! Nada do que temos realizado, vivido, dado e recebido no Movimento das Danças Circulares dos Povos, tem sido por dever e sim por graça. Por absoluto prazer! Sim!!! É uma verdadeira graça nos sentirmos parte deste encantado movimento mundial por uma Cultura de Paz. Quem realiza por graça e com graça, o faz pelo prazer de agradar e se sente agradado por si próprio, por sentir-se agradável. E por sentir-se agradado por si, torna-se mais suscetível a perceber outras graças ao redor... E quanto mais agradado por si próprio, mais transborda graça e compartilha esse prazer com os outros! Ainda mais quando descobre que é possível fazer circular nos “vasos e artérias comunicantes” que nos conectam num imenso organismo vivo, expressões para encantar a si, ao mundo e as pessoas.

Comunicar encantos genuínos tem o efeito de um delicioso contágio viral. Aconteceu assim: contagiados por esse vírus-encanto, muitos se envolveram na “dança” para viabilizar encontros, onde humanos simplesmente dançam juntos na roda. Por prazer! O grande prazer buscado, encontrado e saboreado? Dançar na roda faz-nos sentir novamente inteiros uns com os outros! Aceitos por nós mesmos na condição de aprendizes!

Aprendendo a aceitar o outro como um “semelhante desigual”. O “grande barato” é o sentir-se parte, é a sensação de Integração - com I maiúsculo mesmo. Uma sensação fugaz, mas, o suficiente para acordar em nós essa impressão emocionada, que nos encoraja a descobrir formas de como, na “dança da vida”, vivenciá-la, com outras atitudes e em circunstâncias que a propiciem. Sentir, ativa a memória que nos motiva a buscar desabrochar em nós, o respeito pela dignidade de todos os humanos em nossa convivência. Nossa gratidão é imensa sim!

2014 foi um ano de abundância! Muita gente entrou nesse fluxo para encantar-se e encantar o mundo. Alguns sequer chegaram até a roda de dança mas, se envolveram de corpo-alma e atitudes para viabilizar essa maravilhosa experiência coletiva. Outros dançaram muito, além de tudo. O trabalho coletivo em torno desse Amor tem sido uma escola inigualável para confirmar: a interação humana é possível e linda. A cooperação é possível! Não somente a tolerância mas a aceitação e valorização das diferenças é possível! É possível compartilhar poder!

Gratidão é o nome da emoção que nos inunda! A tudo e a todos que participaram de alguma forma desse tempo de sonhos realizados! Que a abundância de 2015 seja bem vinda! Nós a acolheremos com alegria! E compartilharemos com muito prazer!!! Se suportares descobrir junto conosco que é possível fazer-se feliz, seja bem vindo também!!!!!

Outros artigos recentes
30/12/2017
O simples é o mais alto grau da sofisticação
Por: Sergio Naguel
20/11/2017
Solidéu e Nigun: será que têm lugar comum com o centro das rodas?
Por: Tatiana Gorenstein
16/10/2017
Meu amor de longe - Dança Circular
Por: Marcela Santos
21/08/2017
A dança como componente curricular nas escolas municipais de Ibirite
Por: RAFAELA MARTINS SEDLMAIER MEDEIROS
"Enquanto eu danço, não consigo julgar, não consigo odiar, não consigo me separar da Vida. Só consigo ser alegria e me sentir plena. Por isso eu danço..."
H.Bos
Rede Sociais