Entrar | Cadastrar
Artigos
Textos, monografias e materiais didáticos no universo das Danças Circulares Sagradas.
Sobre a inspiração e o encontro de almas
Texto escrito após a Oficina de Danças Circulares Da Minha Terra com Guataçara Monteiro e João Paulo Pessoa em Belém do Pará.
Publicado em: 28/04/2014
Por: Amanda Mello

Coisas simples sempre me inspiram, não precisa quase nada.

Acredito que as inspirações surgem com as coisas mais banais: um toque no cabelo, um olhar, um sorriso, um abraço... Trejeitos quase imperceptíveis que camuflam ocorrências magníficas.

Cada vez mais me convenço que a beleza está na junção de miúdos.

Nas mãos que se seguram, no fechar dos dedos, nos olhares que se cruzam, nas pálpebras que se fecham, na respiração, num leve aceno acolhedor ou numa piscadela...

Vem deste fascínio por miudezas a minha inspiração. Deste deslumbre íntimo causado pelas sementes, pelas correntes, botões de rosa, um fiapinho da palha do ninho que faz o passarinho (suspiro), ou o invisível bater de asas do beija flor.

A existência é mesmo um mosaico!

Gota em gota para formar uma chuva, chuva em chuva para encher um rio, rios e mais rios para abarrotar um oceano..., de galho em galho para formar uma árvore, de pedra em pedra para se ter uma montanha, de fio em fio para uma cabeleira, de nota em nota, verso em verso para se ter uma canção da Flávia Wenceslau, de passo em passo para se ter uma coreografia, de pessoa em pessoa para se fazer a dança circular.

As pequenezas nos trazem inspiração e nos atraem. E é assim que as almas se encontram.

Deste jeitinho ironicamente belo e absolutamente formidável foi que um dia Ana encontrou Lena; Lena encontrou Harpreet; Harpreet encontrou Guataçara, Guataçara encontrou João que coreografou “Na Imensidão” – uma das minhas músicas prediletas - para dançarmos juntos.  

A Inspiração destes meninos me invadiu, elevou os meus sentidos, encheu-me de prazer e gratidão imensa. Como são lindos...  Não sabiam nada ao meu respeito e me ensinaram a dança que eu sempre sonhei.

Sim, a inspiração acende e as almas se encontram para dança-la.

Artigos do Autor
25/11/2015
Lembrança emocionada. Espera renovada...
19/03/2015
Sobre Danças Circulares e Fotografias
17/12/2013
Para começo de conversa
Outros artigos recentes
30/12/2017
O simples é o mais alto grau da sofisticação
Por: Sergio Naguel
20/11/2017
Solidéu e Nigun: será que têm lugar comum com o centro das rodas?
Por: Tatiana Gorenstein
16/10/2017
Meu amor de longe - Dança Circular
Por: Marcela Santos
21/08/2017
A dança como componente curricular nas escolas municipais de Ibirite
Por: RAFAELA MARTINS SEDLMAIER MEDEIROS
"A dança concede ao homem o brilho e a leveza para as festas e celebrações de sua vida."
Bernhard Wosien
Rede Sociais