Entrar | Cadastrar
Artigos
Textos, monografias e materiais didáticos no universo das Danças Circulares Sagradas.
As duas metades do ser humano
Uma reflexão sobre o corpo - Pensando nos benefícios das Danças Circulares percebo que ela tem a capacidade de trabalhar com o ser integral.
Publicado em: 18/06/2016
Por: Rosely Correa

O corpo se movimenta agitado ou não, com objetivos específicos de executar uma ação. Movimentos cotidianos do fazer, mas já faz algum tempo vemos uma preocupação maior com o corpo, principalmente na mídia o culto ao corpo vem sendo cada vez mais incentivado. Preocupar-se com isso é sem sombra de dúvida muito importante, essencial para a saúde.

Fazer exercícios regularmente fornece a melhora da saúde, exige e desenvolve a disciplina e com isso estabelece uma rotina. Além destes benefícios, um exercício bem orientado trás o contraponto do relaxamento, o movimento da pausa tão necessário quanto o da ação.

É claro que sempre houve uma preocupação com o corpo, principalmente o desejado corpo malhado, magro e sexy, mas neste caso estou falando de uma preocupação com o corpo voltado à saúde e o bem estar geral. Muito se fala também da alimentação saudável, ingerir sempre muita água, comer frutas e legumes, e também aqui estou falando de uma alimentação balanceada com o objetivo de ter uma qualidade de vida melhor e não apenas emagrecer.

Apesar da massificante propaganda de alimentos “não tão saudáveis”, temos observado que muitas pessoas estão se cuidando mais. Ótimo!!!! É isso mesmo, mas e a alma, onde fica o cuidado com a nossa essência, com os nossos sentimentos, com a preocupação da fluidez interna?

Já demos um grande passo na direção dos cuidados com o corpo, mas ainda temos muito que avançar no cuidado com a nossa essência. Neste sentido acredito que o movimento das Danças Circulares tem colaborado, e muito, com a união das duas metades do ser humano, a metade física e a metade energética. Falo aqui de energia para justificar a parte de nós que não aparece claramente, mas quando nós olhamos atentamente podemos perceber essa energia fluindo ou não, dependendo do nosso estado emocional.
Quando em uma roda de Dança Circular damos as mãos e percebemos as pessoas ao nosso redor, de peito e coração abertos para o centro da energia recebendo e enviando vibrações podemos sentir esse trabalho sutil de “recarga das baterias”, as pessoas menos acostumadas não sabem definir a sensação, mas sabem dizer que estão felizes e mais leves.

Não estou fazendo propaganda apenas das Danças Circulares, estou querendo dizer que precisamos mais de momentos de nos olhar e nos abrirmos para a cura da nossa alma, eu estou convicta de que esse é o caminho para mudar o mundo e, é claro, as Danças Circulares tratam desse assunto com maestria, pois reúne em um mesmo momento pessoas de todas as idades, profissões e os coloca a serviço de si mesmo e do coletivo.

Por fim as Danças Circulares colocam em integração as duas metades do ser humano, corpo e energia, e ainda o conecta com o universo fazendo bem para este nosso complexo viver.

Rosely Correa  - pedagoga, psicopedagoga, focalizadora de Danças Circulares.

Outros artigos recentes
30/12/2017
O simples é o mais alto grau da sofisticação
Por: Sergio Naguel
20/11/2017
Solidéu e Nigun: será que têm lugar comum com o centro das rodas?
Por: Tatiana Gorenstein
16/10/2017
Meu amor de longe - Dança Circular
Por: Marcela Santos
21/08/2017
A dança como componente curricular nas escolas municipais de Ibirite
Por: RAFAELA MARTINS SEDLMAIER MEDEIROS
"A dança é uma meditação em movimento, uma caminhada em direção ao silêncio onde todo movimento se torna uma oração."
Benhard Wosien
Rede Sociais