Entrar | Cadastrar
Artigos
Textos, monografias e materiais didáticos no universo das Danças Circulares Sagradas.
Danças Circulares e o EU Sagrado!
Nosso corpo em Movimento ...eis o sagrado!
Publicado em: 02/01/2014
Por: Joseph Fattal Junior

Danças circulares e o "EU" sagrado!

Nosso corpo é mesmo um templo... Ele abriga nossa Alma, nosso Ser, nossa Essência.  A Dança Circular e seus princípios nos orienta de uma forma sublime a tratá-lo com todo Respeito, Amor, Cuidado e com absoluta Resignação, na medida em que é Sagrado, pois o Pai a nós confiou em nosso propósito, ao qual nos propomos.

O corpo é o nosso inconsciente visível... É também o templo onde outros corpos mais sutis se abrigam.
Nosso templo sagrado, refere-se ao nosso Corpo e Espírito... Permissão que nos foi concedida pela Criação Divina... Somente Ele nos conduziu para estar neste planeta e também nas esferas espirituais, portanto devemos cuidar do nosso Todo com Amor e Respeito, alimentando-o corretamente tanto material quanto espiritualmente. Desde que participei da minha primeira roda pude perceber que de uma maneira muito sutil a Dança Circular nos "alimenta" de Pensamentos e Atitudes, a grande lição de “orar e vigiar” nunca foi tão importante como nos tempos atuais em que vivemos cercados por tantas Energias Negativas, influências nefastas, arrastamentos da consciência e alienação. 
Na Dança meditamos em Movimento, O nosso interior possui a magia e o poder de transmitir uma voz, em circunstâncias precisas, que tem o dom de hipnotizar e conseguir coisas relevantes. 

Possuímos o dom de transformar nossas relações em amizades profundas. Temos o conhecimento e a chave do sucesso, a sabedoria dos mistérios para desenvolver a vontade, a fé e a certeza. Tudo com o poder do magnetismo e do amor.
Quando nos definimos como pessoas possuidoras de um magnetismo pessoal, podemos acreditar na potência da personalidade e na autoconfiança... A Dança nos mostra isso! O que quer que seja intangível cria em nós a confiança de outros... Coloque-se em movimento e verás...
Ficamos sabendo que não temos o poder e que nem somos capazes de separar a beleza do amor. O magnetismo que possuímos já separa os nossos olhares externos pela atração. Então, podemos em seguida descartar o que todos pensam, que a beleza contribui para a manifestação do amor. 
Quando nos damos as mãos e fazemos o circulo, somos a diversidade formando a unidade...ninguém é mais que ninguém...ninguém é menos também...somos"UNO".

Na Dança Circular o pensamento centrado no seu objetivo, no seu sucesso, ganha asas para a sua realização.
Aprendemos a ter foco no objetivo. Aprendemos o valor de ousar. Alimentamos a nossa confiança com tudo aquilo que somos capaz de fazer. Desenvolvemos o poder do magnetismo e adquirimos a humildade de aceitar sugestões sem deixar abater o nosso poder magnético de atrair somente o que você deseja de verdade.
Cultivamos a decisão do caráter, aprendendo a dizer as coisas prontamente e bem, com a alma decidida, não tenho dúvida alguma de que as Danças Circulares estão para nós para servir de ferramenta para nossa evolução e espalhar muita LUZ no planeta. 

Com a Dança Circular o mundo será arredondado novamente, a posição e o equilíbrio do EU será assimilada num relacionamento reinante que transmite aconchego.

Na roda, a liberdade e a ligação se equilibram e ocorre uma correção contínua do balanço interno e externo. Através do movimento surge o calor e uma ativação sanguínea que leva a transpiração.  Na alegria de “estar juntos” a existência quotidiana é elevada ao festivo e ao ser.

A Dança Circular é o retrato dinâmico da história Humana. Ela nos relata a experiência do entusiasmo, da presença plena e atemporal que une o ser humano com o Divino.

Quando dançamos em círculo, juntos, de mãos dadas, formamos uma grande mandala de vida e amor, contribuímos para instalar a Paz na terra e que o mundo se torne mais sadio e feliz.

De mãos dadas a energia flui e se espalha por todos, gerando harmonia e equilíbrio, físico, mental e emocional.

É Divina...É Sagrada...é de todos nós!

Outros artigos recentes
30/12/2017
O simples é o mais alto grau da sofisticação
Por: Sergio Naguel
20/11/2017
Solidéu e Nigun: será que têm lugar comum com o centro das rodas?
Por: Tatiana Gorenstein
16/10/2017
Meu amor de longe - Dança Circular
Por: Marcela Santos
21/08/2017
A dança como componente curricular nas escolas municipais de Ibirite
Por: RAFAELA MARTINS SEDLMAIER MEDEIROS
"Só aqui eu me conscientizei de que maneira especial um bailarino pode ser o portador de uma cultura, num sentido abrangente."
Bernhard Wosien
Rede Sociais